Comissão Própria de Avaliação

Nossa História


A autoavaliação na Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) é datada dos anos 80, no contexto do Programa de Avaliação da Reforma Universitária – PARU, momento em que foram realizadas atividades voltadas para a produção e disseminação do conhecimento institucional, tais como: formulação de um diagnóstico, realização de seminários a respeito da conjuntura atual e futuro da instituição. Na década de 90, através do Programa de Avaliação Institucional das Universidades Brasileiras – PAIUB, a UNICAP criou o Programa de Avaliação Institucional da UNICAP – PAI UNICAP com o objetivo de implementar a avaliação interna.

Na década de 2000, teve início a era da autoavaliação sob a égide do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004 e regulamentado pela Portaria nº 20.051, de 08 de julho de 2004. Para atender à referida legislação, a UNICAP instituiu a Comissão Própria de Avaliação – CPA, através da Resolução da Presidência nº 02/2004, composta de forma igualitária por segmentos da comunidade universitária e da sociedade. A primeira CPA teve os seguintes representantes: a) comunidade universitária – Maria da Conceição Bizerra (professora), Jairo Lopes da Silva (alunos) e Frederico José de Azevedo Wanderley (funcionário do corpo administrativo); b) sociedade civil organizada – Margarida de Oliveira Cantarelli (Poder Judiciário), José Paulo Cavalcanti Filho (OAB) e Antonio Carlos dos Santos Figueira (Instituto Materno Infantil de Pernambuco – IMIP).

Nessa época, a CPA elaborou o seu primeiro Projeto de Autoavaliação Institucional para o período 2005-2010 com o objetivo de conhecer potencialidades, desafios, limites e oportunidades institucionais da UNICAP, visando a subsidiar o planejamento e o desenvolvimento das políticas de ensino, pesquisa, extensão, gestão e infraestrutura.

Com esse projeto, foi possível alargar o espectro de atuação da autoavaliação em relação às experiências anteriores, uma vez que ultrapassou a avaliação realizada, segundo os Programas PARU e PAIUB.

Assim, a experiência vivida no período 2005-2010 configurou-se como um momento formativo portador de muitas aprendizagens para todas as pessoas que dela participaram. Muitos dos dados captados na autoavaliação institucional sinalizaram caminhos que hoje representam ações bem sucedidas, outras em fase de implantação, além daquelas que, ainda fazem parte do elenco de intenções e que, certamente, serão efetivadas em um futuro próximo.

Nessa perspectiva, o Projeto de Autoavaliação Institucional para o período 2011-2016, elaborado contemplando as 10 (dez) dimensões do SINAES, apresentou-se como uma agenda de continuidade e de inovação das práticas avaliativas. No cumprimento dessa agenda, buscou-se concretizar a compreensão da importância da avaliação para a mudança institucional, o que pressupõe a dialetização entre a identificação das fragilidades e o anúncio de sua superação.

A meta-avaliação desse projeto serviu de alicerce para a elaboração do projeto a ser desenvolvido no período de vigência do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2017-2022. Para tanto, a autoavaliação, a exemplo de anos anteriores, terá por referência as 10 (dez) dimensões do SINAES, aglutinadas em em 5 (cinco) Eixos: Planejamento e Avaliação Institucional, Desenvolvimento Institucional, Políticas Acadêmicas, Políticas de Gestão e Infraestrutura.

Ao longo de sua história, a CPA passou por várias atualizações. Em 2016, a CPA teve seu Regimento revisado e aprovado pela Portaria da UNICAP nº 051, de 11 de outubro de 2016. A composição da CPA foi reformulada, conforme Portaria nº 092/2020 da Presidência da UNICAP e passou a ter a seguinte composição: coordenadora – Maria da Conceição Bizerra; representantes dos professores – Cezar Augusto Cerqueira e Maria Helena da Costa Carvalho; representantes dos funcionários – Fernando Antonio dos Santos do Nascimento e Luís Carlos de Lima Pacheco; representantes dos alunos – Thaís Chianca Bessa Ribeiro do Valle e Yali Alves da Silva e representantes da sociedade civil – Annie Bittencourt e Creuza Maria Gomes Aragão. Nessa oportunidade, teve ratificada a sua atribuição geral de elaborar e desenvolver uma proposta de Autoavaliação Institucional, coordenando os processos internos de avaliação da UNICAP em articulação com a Avaliação de Cursos e com a Avaliação do Desempenho do Estudante, de acordo com os princípios e as diretrizes do Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior – SINAES.

A criação da CPA já acumula quase duas décadas de existência representando uma experiência que se constrói e reconstrói diuturnamente com base na esperança de que a avaliação pode interferir na história da UNICAP feita pelos seus principais artífices alunos, funcionários e professores, que têm possibilidades de continuar a fazer acontecer.


Composição


COORDENAÇÃO

Profa. Dra. Maria da Conceição Bizerra
– Professora do Centro de Teologia e Ciências Humanas – CTCH – da UNICAP

REPRESENTANTES DOS PROFESSORES

 Prof. Dr. Cezar Augusto Cerqueira
– Professor do Centro de Ciências e Tecnologia – CCT – da UNICAP

Profa. Msc. Maria Helena Oliveira da Costa Carvalho
– Professora do Centro de Teologia e Ciências Humanas – CTCH – da UNICAP

REPRESENTANTES DOS FUNCIONÁRIOS

 Fernando Antonio Santos do Nascimento
– Auxiliar Administrativo da CPA

Luís Carlos de Lima Pacheco
– Programador Visual – Assessoria de Comunicação – Assecom

 REPRESENTANTES DOS ALUNOS

Thaís Chianca Bessa Ribeiro do Valle (Pós-graduação)
– Mestranda em Ciências da Religião

Yali Alves da Silva (Graduação)
– Estudante Curso de Ciências Biológicas Licenciatura

 REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA

 Annie Lezan Bittencourt de Moura
– Diretora Pedagógica das Escolas do CNA em Recife e Olinda

Creuza Maria Gomes Aragão
– Chefe de Gabinete do Desembargador Leonardo Carvalho – Tribunal Regional Federal da 5º Região


AVALIAÇÃO NA PALMA DA MÃO ATRAVÉS DO CELULAR