Publicado Por: Alessandro Douglas

Washington, DC - A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) apresentou em 4 de dezembro de 2019 o Processo 13.392 da Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH), Família Julien-Grisonas, sobre a Argentina.

O caso refere-se à responsabilidade internacional do Estado pelo desaparecimento forçado de Mario Roger Julien Cáceres e Victoria Lucía Grisonas Andrijauskaite, iniciados em uma operação policial e militar durante a ditadura argentina. O caso também se refere à falta de investigação adequada, sanção e reparação desses fatos, bem como tortura, desaparecimento forçado e outras violações em detrimento de Anatole e Victoria, filho e filha do casamento Julien-Grisonas, que ocorreu como resultado do Mesmo operatório.

O presente caso também é emblemático das graves violações dos direitos humanos durante a ditadura argentina no âmbito da Operação Condor. Reflete, em particular, as ações da coordenação repressiva argentino-uruguaia em relação aos refugiados uruguaios em Buenos Aires, bem como a prática de desaparecimentos forçados. Por esse caso, o plano sistemático de apropriação de recém-nascidos e crianças pequenas foi revelado pela primeira vez, após o desaparecimento ou execução dos pais.

Leia mais: http://www.oas.org/es/cidh/prensa/comunicados/2020/046.asp

Visualizações:
111
Compartilhar