Publicado Por: Alessandro Douglas

O Sistema Único de Saúde deve entrar em colapso no final de abril, segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandeta, com a pandemia que se alastrou no nosso país causada pelo Covid-19. Em processo de crescentes casos confirmados, cada vez mais, se mostram visíveis às deficiências de financiamento do SUS.

Os governadores dos Estados nacionais estão tomando medidas preventivas para evitar o colapso no SUS. Umas dessas medidas é o isolamento social da população, a educação de higienização pessoal e o fechamento de comércio, estabelecimento de educação, entre outros. Só funcionam serviços essenciais como supermercados, padarias e farmácias.

Gerando um forte impacto social em 2020, o corte de 20 bilhões, provocado pela Emenda Constitucional (EC) 95/2016, conhecida como a “emenda do fim do mundo”, congelou os gastos com a saúde por 20 anos. A medida deve acarretar uma desigualdade regional ainda maior. Conforme a proposta apresentada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, os estados ficam desobrigados de destinar 12% da Receita Corrente Líquida (RCL) para saúde. Para os municípios o percentual é de 15%.

Matéria: Wilma Santos / Adaptação da imagem: Mayara Moreira

 

Visualizações:
68
Compartilhar