Publicado Por: Alessandro Douglas

Os invisíveis nunca foram tão visíveis

A determinação dos órgãos de saúde do governo para os cidadãos é que fiquem em casa, mas como pessoas que não têm moradia digna e não podem se recolher em qualquer espaço privado, podem estar seguras? A população de rua sofre diariamente com a falta de políticas públicas, e a chegada do Coronavírus submete eles a mais um risco.

Vivemos uma situação extremamente atípica: universidades, parques, shoppings, todos fechados, e sem previsão de retorno às suas atividades normais. A população de rua é fortemente impactada pelas mudanças causadas na sociedade pelo COVID-19. A diminuição da circulação de pessoas faz com que a renda que ajuda esses moradores de rua desapareça. Alguns grupos que antes levavam alimentos para essas pessoas não estão indo mais às ruas por conta do isolamento social, e sem essa ajuda a situação ficou ainda mais crítica. A falta de informação, aliada à escassez de recursos, torna-se um empecilho para que essas pessoas tomem as precauções para evitar o contágio.

Apesar do momento precário, há ações de assistência para essa população, como a iniciativa da Marmita Solidária no Recife, que distribui todos os dias marmitas de café da manhã e jantar, além de oferecer banho para esses moradores de rua, atendendo assim em torno de 350 pessoas. O projeto tem como contribuintes a Arquidiocese de Olinda e Recife, Unificados pelo povo em situação de rua e a Frente Brasil Popular (PSR). Se você quer ajudar, seguem os dados para as contribuições:

Entidade de apoio para as doações:
Associação da Juventude Camponesa do Nordestina Terra Livre:
Banco do Brasil
Agência: 0697-1 RECIFE
Conta Corrente: 58892-X
Cnpj: 09.423.270/0001-80

Ponto de arrecadação de alimentos e produtos de higiene
Igreja Rosário dos Pretos
Estreita do Rosário, s/n, Santo Antônio
Segunda a Sexta-feira das 10h às 14h

Matéria: Maria Luna e Mayara Moreira

Visualizações:
87
Compartilhar