Engenharia da Complexidade - Bacharelado

Autorização : CONSEPE PLENO Nº 035, 03 de outubro de 2019

Grau:

Bacharelado

Carga Horária:

4.296 horas

Turno Oferecido:

Integral

Coordenação: Prof. Dr. Fernando Artur Nogueira Silva

1. Objetivo do Curso

O Curso de Engenharia da Complexidade tem como objetivo geral oferecer uma formação diferenciada para os alunos da região nordeste do país.

Autorização: CONSEPE PLENO Nº 035, 03 de outubro de 2019.

Duração do curso: 5 anos – 10 períodos

Objetivos Principais

  • Uma formação baseada em competência com a incorporação de abordagens ativas ágeis de aprendizagem, na qual o aluno constrói suas competências ao longo da solução de problemas práticos e reais, tendo a experimentação prática como protagonista no processo de aquisição de suas habilidades;
     

  • Imersão em situações reais de trabalho no âmbito de empresas parceiras da instituição. Diferente de um estágio obrigatório, usual nos cursos de graduação em engenharia, trata-se, de fato, de uma progressiva imersão no dia-a-dia da vida profissional, trabalhando sobre problemas reais do mercado de trabalho e participando ativamente no processo de construção de possíveis soluções;
     

  • Uma efetiva ação de internacionalização. O estudante tem a possibilidade de desenvolver suas atividades do curso por pelo menos um ano em um dos campi que estão desenvolvendo esse novo curso no mundo - França, Índia e África. Caso o aluno deseje, poderá realizar até dois anos do curso fora do Brasil. A partir do terceiro ano do curso, todas as atividades do curso serão ministradas/desenvolvidas em inglês, em qualquer campus que o aluno decida fazê-las.

Características Principais

O curso de graduação em engenharia da complexidade traz importantes inovações para a formação profissional de engenheiro no país que respondem a demandas objetivas e urgentes no mercado de trabalho em nível nacional e internacional. A seguir uma lista das principais características da formação: 

  • Utilização de uma metodologia de ensino-aprendizagem que privilegia a abordagem baseada em problemas – ABP (PBLs em inglês);
     

  • Uma formação com uma forte aproximação com o setor produtivo;
     

  • Uma formação aberta decididamente aberta à internacionalização com uma formação orientada para a interculturalidade;
     

  • Uma formação de um novo perfil de engenheiro de caráter mais generalista;
     

  • Uma formação profissional com aulas/atividades ministradas em inglês;
     

  • Uma formação com a possibilidade realização de pelo menos um ando do Curso fora do país;
     

  • Uma formação com um acompanhamento diferenciado do estudante no seu processo de formação profissional e pessoal;
     

  • Uma formação baseada em competência; 
     

  • Uma formação que usa de maneira intensa a Pedagogia Baseada em Projeto, na qual o estudante desenvolve suas habilidades através de situações diversificadas de complexidade progressiva;
     

  • Uma formação que incorpora conceitos e práticas da Pedagogia da Decisão visa ajudar os estudantes a decidir de acordo com o contexto na sua atuação profissional (resposta às expectativas sociais), mantendo viva a exigência de singularização (descobrir a coerência do indivíduo para além da sua profissionalização).

Perfil do Egresso

  • O Engenheiro da Complexidade é um engenheiro com formação generalista, empreendedor, dotado de sólidos conhecimentos científicos, aberto aos outros, com competência para direcionar o desenvolvimento econômico ao serviço do homem, dentro de uma visão sistêmica da ecologia integral. Tem condições de demonstrar na atuação profissional: 

  • Inteligência do concreto (todas as informações diretamente relacionadas à realidade são tratadas e assimiladas),

  • Agilidade, senso crítico, inovação, pensamento disruptivo e habilidade para lidar com riscos,

  • Visão sistêmica, visão de longo prazo, discernimento, decisão, capacidade observar uma mesma situação sob um ângulo diferente (empatia),

  • Aptidão para pesquisar, desenvolver, adaptar e utilizar novas tecnologias, com atuação inovadora e empreendedora, 

  • Capacidade de reconhecer as necessidades dos usuários, formular, analisar e resolver, de forma criativa, os problemas de Engenharia, 

  • Capacidade de atuação multidisciplinar e transdisciplinares em sua prática,

  • Domínio dos aspectos globais, políticos, econômicos, sociais, ambientais, culturais e de segurança e saúde no trabalho, 

  • Capacidade de atuar com isenção e comprometimento com a responsabilidade social e com o desenvolvimento sustentável;

  • Preocupações com os aspectos globais, políticos, econômicos, sociais, ambientais, culturais e de segurança e saúde no trabalho, no exercício de sua profissão;

  • Conhecimento teórico e experimental de um amplo campo científico e técnico com habilidades analíticas e de síntese para lidar com projetos complexos e pluritecnológicos;

  • Domínio das ferramentas e métodos da engenharia e com habilidade e agilidade digital;

  • Capacidade de conduzir uma abordagem científica colaborativa no contexto de atividades de pesquisa e desenvolvimento;

  • Competência para gerenciar as equipes que coordena no interesse do sucesso coletivo, respeitando o bem comum;

  • Capacidade de combinar o senso de concretude, agilidade e criatividade sendo capaz de assumir riscos, empreender e iniciar mudanças;

  • Senso crítico para extrair informações relevantes de ferramentas disponíveis ou construir suas próprias ferramentas adaptando-as a uma necessidade específica.

Competências Adquiridas

Ao longo do Curso de Engenharia da Complexidade, o estudante desenvolver, de maneira progressiva e com grau de exigência crescente, um portfólio de 13 (treze) competências referenciais que são divididas em três Grupos, conforme detalhado a seguir.

  1. Grupo de competências associadas à aquisição de conhecimento científico e técnico e o domínio de sua aplicação - GRUPO 1

C1. Possui o conhecimento teórico e experimental de um amplo campo científico e técnico, além de habilidades analíticas e de síntese para lidar com projetos complexos e multi-tecnológicos.

C2. Deve ter condições de se adaptar a diferentes campos técnicos e científicos mesmo desconhecidos para ele. Ele identifica os diferentes campos de conhecimento presentes em seus projetos e interage com cada um dos especialistas envolvidos.

C3. Ter um senso prático e crítico para caracterizar um problema, projetar e desenvolver soluções, sistemas e produtos. 

C4. Dominar as ferramentas e os métodos do engenheiro e ter uma agilidade digital. Ele é capaz de empreender um trabalho de inovação em um pensamento disruptivo e de ruptura.

C5. Ter a capacidade de conduzir uma abordagem científica colaborativa no contexto de atividades de pesquisa e desenvolvimento.

C6. Exercitar seu senso crítico para extrair informações relevantes das ferramentas de inteligência empresarial. Ele reformula e os adapta à sua problemática.

  1. Grupo de competências associadas às demandas específicas da empresa e da sociedade - GRUPO 2

C7. Adotar uma postura de condutor da atividade que realiza lidando com habilidade os interesses do cliente, as questões associadas ao custo, qualidade e o tempo de entrega. Integra a estratégia da empresa e tem comportamento propositivo e possui capacidade de realizar iniciativas responsáveis.

C8. Ter responsabilidade de conduzir a atividade, gerenciar as equipes com foco no interesse coletivo, no respeito do bem comum com atenção especial às questões de segurança e saúde no trabalho. Ter capacidade de mobilizar sua capacidade de formador de opinião para se posicionar de maneira adequada no seu ambiente profissional. 

C9. Saber lidar com questões e necessidades do planeta e da humanidade em qualquer momento de sua ação em consonância com o slogan “Pense globalmente e aja localmente”. Age de acordo com os princípios da ecologia integral.

  1. Grupo de competências associadas à dimensão organizacional, pessoal e cultural - GRUPO 3 

C10.Tratar as pessoas com benevolência, através de sua capacidade de comunicação e sua habilidade de compreensão das pessoas e das organizações; ser capaz de mobilizar pessoas e grupos e contribuir para o desenvolvimento individual e para a dinâmica dos projetos em equipe.

C11.Ser capaz de combinar um senso de concretude, agilidade e criatividade e ter a capacidade de assumir riscos, realizar e iniciar mudanças. Ter engajamento no nível da empresa, da sociedade e na sua vida pessoal.

C12.Ser capaz de exercer sua profissão de engenheiro, em português e em inglês, em uma situação intercultural: por suas habilidades de comunicação, por seu conhecimento de sistemas culturais e pelas experiências realizadas durante seu curso de graduação.

C13.Ser atencioso e dar sentido à sua ação. Ele sabe discernir, refinar seus desejos e expectativas, identificando seus valores para decidir e assumir suas escolhas profissionais, pessoais e sociais. Nesse contexto, o Engenheiro da Complexidade é capaz de gerenciar suas habilidades em uma perspectiva de aprendizagem ao longo da vida.

Domínios de Conhecimento do Curso

O curso de Engenharia da Complexidade se apoia em seis Domínios de Conhecimento que abrangem todas aquelas contempladas nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Cursos de Graduação em Engenharia no país.

4 áreas de conhecimentos técnicos-científicos:

  • Matemática, Informática e Automação (MIA): Análise, Álgebra, Geometria, Algoritmos, Engenharia e Programação de Software, Inteligência Artificial, Pesquisa Operacional, Redes, Sistemas de Informação, Sistemas de Computação, Ciência de Dados.

  • Engenharia Elétrica e Eletrônica (EEE): Fundamentos de Engenharia Elétrica (Eletrostática, Eletromagnetismo, Sinais, Ondas, Óptica, Eletricidade, Campo eletromagnético), Produção, Distribuição e Exploração de Energia Elétrica - Engenharia Elétrica, Eletrônica de Potência, Energia Inteligente, Conversão -, Aquisição, processamento e transmissão de sinais - Eletrônica Analógica e Digital, Telecom -, Controle-Comando - Instrumentação, Automatismo, Computação Industrial - e Sensores.

  • Engenharia Mecânica (MEC): Mecânica dos pontos e dos corpos sólidos, Estudos de ações mecânicas, Equilíbrio de estruturas, Teoria de conexões e dos mecanismos, Projeto e dimensionamento de estruturas, Método dos elementos finitos, Projeto Auxiliado por Computador - CAD - , Vibração em estruturas.

  • Energética, Meio Ambiente e Materiais (EEM): Mecânica dos Fluidos, Termodinâmica, Térmica, Química, Processos, Materiais - Metais, Polímeros, Compósitos e Cerâmica. Cristalografia, corrosão, diagrama de equilíbrio, transformação em estado sólido, concepção de projeto de materiais e  Ecologia Integral.

2 áreas de conhecimentos gerais:

  • Ciências Humanas (HUM): Idiomas (línguas portuguesas e língua estrangeira), Culturas, Interculturalidade, Comunicação, Relações Culturais (cultura afro-brasileira e indígena), Artes e Criatividade, Psicologia e Antropologia, Filosofia, Sociologia, História, Geografia, Ciência Política, Geopolítica, Direito, Economia Geral, História das Ciências e Epistemologia, Ética.

  • Gestão de Pessoas e Organizações (MHO): Empreendedorismo, Economia Empresarial, Marketing, Gestão e Estratégia Corporativa, Sociologia das Organizações, Ambiente Jurídico da Empresa - Direito Empresarial, Estruturas, Trabalho e Negócios, Propriedade -, Responsabilidade Social Corporativa - RSE-Ética -, Habilidades Gerenciais - Comunicação Profissional, Gestão Operacional e Liderança - e Gestão Intercultural. Gerenciamento de operações industriais - Produção, Cadeia de Suprimentos, Qualidade, Saúde Ocupacional, Manutenção - e Gerenciamento de Projetos.

Cada ano é organizado em torno de projetos estruturantes, nos quais são desenvolvidas todas as atividades pedagógicas do curso. O formato seguido é o seguinte:

  • Um Projeto Estruturante,

  • Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) por área de conhecimento e por semestre (PBLs),

  • Atividades Especializadas com especialistas em tópicos específicos por semana,

  • Atividades Artísticas e Culturais,

  • Atividades Esportivas,

  • Projetos Associativos,

  • Estágios.

Em relação aos Projetos Estruturantes:

  • O projeto do ano 1 trata da análise de um veículo aéreo não tripulado - Projeto Drone;

  • O projeto do ano 2 objetiva a concepção de um barco controlado remotamente e autônomo em energia - Projeto Barco Sustentável e Autônomo;

  • O projeto do ano 3 é uma continuidade do projeto do ano 2,

  • O projeto do ano 4 trata da concepção de uma habitação simples e acessível em termos de custo e know-how que pode atender a uma necessidade básica de moradia - Projeto Casa do Futuro.

Em relação à Aprendizagem Por Problemas (APP) ou Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP):

O método ABP (Aprendizagem Baseada em Problemas) é uma pedagogia ativa, indutiva e participativa. A aprendizagem é articulada em torno de situações-problema que constituem os pontos de partida e chegada. Como o próprio nome indica, uma situação-problema descreve, de maneira objetiva, uma situação que apresenta um problema concreto a um indivíduo ou organização. Também pode representar um fenômeno para explicar ou uma ação a ser tomada. O item 3.2 do presente Projeto Pedagógico oferece mais detalhes sobre o método ABP.

No que diz respeito às Atividades Especializadas: 

Elas são ministradas sob diferentes modalidades pedagógicas:

  • Cursos tradicionais em salas de aula ou anfiteatros, Trabalhos Práticos (TP), Trabalhos,

  • Sala de aula invertida,

  • Blended learning,

  • Conferências ou videoconferências.

Atividades Complementares

As Atividades Complementares na UNICAP são regidas pela Resolução Nº 009/2005 da Câmara de Graduação do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão. Elas se constituem em componentes curriculares de caráter acadêmico, científico e cultural cujo foco principal é o estímulo à prática de estudos independentes, transversais, opcionais e interdisciplinares, de forma a promover, em articulação com as demais atividades acadêmicas, o desenvolvimento intelectual do estudante, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. 

Podem ser consideradas como horas de atividades complementares as seguintes ações:

  • Disciplina que não integre a matriz curricular, cursada na UNICAP ou em outra instituição de ensino superior;
  • Exercício de monitoria e tutoria;
  • Minicursos em geral cuja temática e pertinência contribuam para a melhor formação profissional;
  • Participação em eventos científicos (seminários, congressos, simpósios, workshops, mesas-redondas, oficinas e outras atividades pertinentes) promovidos pela UNICAP ou por outras instituições de ensino superior, conselhos e órgãos de classe, sociedades, organizações e similares;
  • Participação efetiva em atividades de extensão e comunitárias da UNICAP ou de outras instituições;
  • Participação em programa de ensino aos pares ao longo da graduação;
  • Representação estudantil nos Colegiados da UNICAP;
  • Participação no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC da UNICAP ou de outras instituições;
  • Participação efetiva em grupo de estudos ou de pesquisa, com frequência registrada e orientação docente;
  • Produção individual ou coletiva de livros, artigos didáticos ou científicos, capítulo de livros, softwares, vídeos e filmes;
  • Participação em projetos da UNICAP Jr.

Estágio Curricular Supervisionado

O Curso é composto por um ciclo básico com 2 anos de duração e um ciclo profissional que tem duração de 3 anos. O total de horas para a integralização dos cinco anos do curso é de 4.296, sendo 120 horas dedicadas ao Trabalho de Conclusão de Curso, 60 horas dedicadas às Atividades Complementares e 90 horas relacionadas ao Estágio Supervisionado

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) se constituirá em um trabalho individual ou em equipe com tema relacionado a uma determinada das áreas de conhecimento do curso e será desenvolvido pelo aluno sob a supervisão de um professor-orientador do curso ou de fora dele.

O curso traz importantes inovações para a formação profissional de engenheiro no país que respondem a demandas objetivas e urgentes no mercado de trabalho em nível nacional e internacional, quais seja: 

  • Utilização de metodologias ativas no processo de ensino-aprendizagem com a abordagem experimental sendo o núcleo central da formação (diretamente ligada a um fab-lab);

Uma formação com uma forte aproximação com o setor produtivo;

  • Uma formação aberta decididamente aberta à internacionalização com uma formação orientada para a interculturalidade;

  • Uma formação de um novo perfil de engenheiro de caráter mais generalista;

  • Uma formação profissional com aulas/atividades ministradas em inglês;

  • Uma formação com a obrigatoriedade de um ano de intercâmbio com outros países, no mínimo;

  • Uma formação com um acompanhamento diferenciado do estudante no seu processo de formação profissional e pessoal.

Mercado de Trabalho

Tendo por base o conteúdo programático das pedagógicas do Curso e o portfólio de competências/habilidades que o egresso do novo curso incorpora ao longo de sua formação, o profissional ele poderá desempenhar, no exercício profissional, as seguintes atribuições e atividades:

  • Desempenho de cargos, funções e comissões em entidades estatais, paraestatais, autárquicas, de economia mista e privada,

  • Planejamento ou projeto, em geral, de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes, explorações de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária,

  • Estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica,

  • Ensino, pesquisas, experimentação e ensaios,

  • Fiscalização de obras e serviços técnicos,

  • Direção de obras e serviços técnicos,

  • Execução de obras e serviços técnicos,

  • Produção técnica especializada, industrial ou agropecuária.

  • Gestão, supervisão, coordenação, orientação técnica,

  • Coleta de dados, estudo, planejamento, anteprojeto, projeto, detalhamento, dimensionamento e especificação,

  • Estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental,

  • Assistência, assessoria, consultoria,

  • Direção de obra ou serviço técnico,

  • Vistoria, perícia, inspeção, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria, arbitragem,

  • Desempenho de cargo ou função técnica,

  • Treinamento, ensino, pesquisa, desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica, extensão,

  • Elaboração de orçamento,

  • Padronização, mensuração, controle de qualidade,

  • Execução de obra ou serviço técnico,

  • Fiscalização de obra ou serviço técnico,

  • Produção técnica e especializada,

  • Condução de serviço técnico,

  • Condução de equipe de produção, fabricação, instalação, montagem, operação, reforma, restauração, reparo ou manutenção,

  • Execução de produção, fabricação, instalação, montagem, operação, reforma, restauração, reparo ou manutenção,

  • Operação, manutenção de equipamento ou instalação,

  • Execução de desenho técnico.


1.Corpo Docente

Domínio de Matemática, Informática e Automação

- Profª M.Sc Ana Eliza Moura - CV: http://lattes.cnpq.br/1684154610199074

- Profª Dra. Edjane Oliveira dos Santos Cavalcanti - CV: http://lattes.cnpq.br/8947005689214135

Domínio de Engenharia Elétrica e Eletrônica

- Prof. Dr. Antônio José da Crua Filho - CV: http://lattes.cnpq.br/0990963234238301

Domínio de Engenharia Mecânica

Prof. Dr. Leonardo Bruno Ferreira de Souza - CV: http://lattes.cnpq.br/6323767010601787

Domínio de Energias, Meio Ambiente e Materiais

Prof. Dr. Hilário Jorge Bezerra de Lima Filho - CV: http://lattes.cnpq.br/7676673505171047

Domínio de Ciências Humanas

Prof. MSc. João Elton de Jesus - CV: http://lattes.cnpq.br/6690323448255726

Domínio de Gestão de Pessoas e Organizações

Prof. Dr. Perseu Padre de Macedo - CV: http://lattes.cnpq.br/7734542451423148

2. Semestre do Curso

Engenharia da Complexidade - Semestre 1.pdf;

Engenharia da Complexidade - Semestre 2.pdf

Engenharia da Complexidade - Semestre 3.pdf

Engenharia da Complexidade – 2020.2  - Atualizado em 26/02/2021.