Publicado Por: Alessandro Douglas

A Rede Solidária em Defesa da Vida - PE (RedeSol) divulgou uma nota técnica, no último dia 25 de setembro, se posicionando contra o retorno às aulas presenciais em Pernambuco. Assinada por especialistas da área de saúde, o parecer repudia a decisão do governo estadual enquanto expõe a falta de condições sanitárias para a retomada das atividades.

No mês de setembro, o Governo do estado de Pernambuco determinou o início da reabertura das escolas, a partir do dia 06 de outubro, começando pelo terceiro ano do Ensino Médio. A determinação gerou reações mistas: o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de Pernambuco (SINEPE-PE) entrou na Justiça para pedir o retorno das atividades presenciais de todas as séries, e os professores, tanto da rede pública quanto da rede privada, declararam estado de greve, em repúdio à decisão.

Após a determinação estadual, a RedeSol se pronunciou afirmando que não há condições para a retomada das atividades escolares presenciais em locais ainda em pico de transmissão ou com pouco tempo de melhora - o que comprometeria todos os últimos meses de batalha contra a COVID-19, segundo os especialistas. Segundo a organização, o primeiro passo para se pensar numa retomada das aulas presenciais é controlando a transmissão comunitárias do vírus, e adotando fortes medidas de segurança, higienização e distanciamento social nas escolas.

Na última segunda-feira (05), a Justiça do Trabalho determinou a suspensão da volta às aulas para as escolas particulares, acatando o pedido do Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro-PE).

A nota técnica da RedeSol, você encontra na íntegra em: https://cutt.ly/Kgw6ylT

Texto: Guilherme Anjos

Foto: Arthur Mota

Gostei.
Compartilhar