Publicado Por: Alessandro Douglas

Ontem, faleceu o jornalista José de Broucker, o primeiro biógrafo de Dom Helder Camara. Pessoa querida, integrante da Família Mecejanense com quem tive a alegria de manter contatos. Escreveu diversos artigos sobre Dom Helder e alguns livros como Le conversioni di un vescovo, La violenza di un pacifico, As noites de um profeta: Dom Hélder Câmara no Vaticano II. Assim escrevi no livro "O caminho espiritual de Dom Helder Camara": "Na França, o jornalista José de Broucker garantia a excelente acolhida do Arcebispo na imprensa francesa e encaminhava a publicação da maioria de seus livros nesse país" (p. 204). "Dom Helder acreditava que Deus lhe enviava certas “humilhações” a fim de fazê-lo crescer na santificação. José de Broucker, certa vez, lhe perguntou qual poderia ser a maior de todas as humilhações, e eis que o Dom respondeu que seria a 'de perder a confiança do Santo Padre. Não somente de Paulo VI, mas do Papa... Eu sou um homem de Igreja...'” (p. 264). Quando chefe de redação da revista Informations Catholiques Internationales, José de Broucker, ao saber do verdadeiro motivo da não aceitação de conferências internacionais de Dom Helder, publicou uma nota dizendo que além da censura do Governo autoritário do Brasil, o Arcebispo de Recife sofria também censura do Vaticano. A repercussão foi tão grande que o Secretariado de Estado contra-atacou desmentindo publicamente a censura e chegou a insistir para que o Arcebispo aceitasse os convites" (p. 268).

Gostei.
Compartilhar