Publicado Por: Alessandro Douglas

Uma das maiores armas de enfrentamento a pandemia do coronavírus é o isolamento social. Apesar disso, parte da população precisa se deslocar, como os profissionais de serviços essenciais e, assim, acabam dependendo do transporte público.

Apesar do serviço público de transporte estar previsto na Constituição Federal como direito social, o setor enfrenta problemas estruturais desde antes do novo coronavírus e, diante da crise sanitária, a solução desses problemas se tornam mais difíceis. Pois com o isolamento social, por exemplo, houve quedas históricas nos recursos que garantem esse direito, devido ao custo de alguns benefícios serem baseados integralmente no pagamento da tarifa pela usuária/o.

Diante disso, 40 organizações da sociedade civil e movimentos sociais que atuam no campo da mobilidade e direitos humanos lançaram uma proposta de medidas emergenciais a órgãos não governamentais, municipalistas e empresariais a respeito da situação econômica dos transportes públicos no Brasil e o Programa Emergencial do Transporte Social. O objetivo é beneficiar trabalhadoras/es, usuários/as e mobilidade, principalmente neste período de pandemia.

 

 CNNBrasil

 Mayara Moreira

Visualizações:
42
Compartilhar