Publicado Por: Alessandro Douglas

A ameaça do coronaírus para as populações indígenas pode levar a um genocídio. Sendo povos mais vulneráveis à doença, o vírus tende a se espalhar numa velocidade muito maior entre as aldeias. Por compartilharem espaços comuns dentro de seu território, o contágio pode dizimar uma população. A dificuldade de acesso a postos de saúde agrava a situação, principalmente para as crianças e idosos da comunidade que são os mais suscetíveis aos sintomas. Especialistas sugerem que essas populações se isolem nas matas e evitem ao máximo contato com não indígenas. Aconselham também a quarentena dos indígenas vindo das cidades, evitando contato com outros de sua aldeia.

O povo Warao
No Recife há um caso especial de um povo indígena vivendo na cidade. Famílias da etnia Warao, da Venezuela, estão isolados em quatro pequenas casas no Recife. Sem ter acesso às políticas públicas eles estão sobrevivendo com arrecadações e ações solidárias conjuntas. Antes do Covid-19, eram vistos pedindo dinheiro nos semáforos, mas agora sem carros nas ruas veem-se sem opções. Os Warao vivem, em muitos casos, em situações insalubres em suas casas, assim não têm condições de se precaverem adequadamente para evitar o coronavirus.

 Ive Rylo
 Maria Clara Machado

Visualizações:
93
Compartilhar