Publicado Por: Alessandro Douglas

Washington, DC - A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) manifesta sua preocupação com os repetidos ataques a sites de memória localizados em diferentes regiões do Chile e insta o Estado a investigar esses fatos, bem como a adotar medidas para garantir a preservação desses espaços

Segundo informações públicas, entre 18 de dezembro de 2018 e 19 de janeiro de 2020, foram registrados nove episódios de danos em memoriais localizados nas cidades de San Antonio, Osorno, La Serena, Concepción e Coquimbo, além de invasões e danos. para sites de memória em Santiago. Os monumentos construídos para evitar que as graves violações dos direitos humanos cometidas durante a ditadura chilena não caiam no esquecimento e em homenagem às vítimas foram vandalizadas com faixas, manchas e, em vários casos, inscrições que se referiam a grupos de extrema direita do país ou escritos, pois alguns estão faltando e mais estão chegando. A Comissão também foi informada de que, durante 2019, houve pelo menos seis outros casos de ataques a sites de memória em Santiago, Panguipuli, Antofagasta, Paine e em Pichoy, região de Los Ríos. Por outro lado, de acordo com as informações públicas, o Estado estaria trabalhando em um protocolo de ação contra novos episódios de ataques a sites de memória. De acordo com as informações fornecidas pelo Estado, em quase todos os casos as ações criminais correspondentes já foram ajuizadas.

Leia mais: http://www.oas.org/es/cidh/prensa/comunicados/2020/025.asp

Visualizações:
137
Compartilhar